ALCATRAZ   (Sula leucogaster)

no Parque Natural da Baía do Inferno e do Monte Angra

Estatuto Mundial de Conservação (IUCN Red List): Pouco Preocupante
Lista vermelha de Cabo Verde: Vulnerável
Endemismo de Cabo Verde: Não

 
O alcatraz (Sula leucogaster) é uma ave marinha de grande porte cuja área de distribuição inclui as regiões tropicais dos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico. No arquipélago de Cabo Verde a espécie é residente e reproduz-se nos ilhéus de Curral Velho, Baluarte e Raso, e nas ilhas de Santiago e da Brava. E é precisamente nas falésias da Baía do Inferno (ilha de Santiago) que nidifica a maior colónia de alcatraz que ocorre em Cabo Verde! 
 
Durante o dia
 procura alimento em áreas próximas da costa e, geralmente, ao fim do dia regressa à colónia (podendo realizar mais do que uma viagem por dia). Os ninhos têm normalmente 2 ovos, mas dificilmente se encontram com duas crias porque a primeira a nascer elimina a segunda, para evitar a competição pelo alimento. Esse comportamento, denominado de cainismo, é comum nessa espécie. 
 

Apesar de ser desajeitado em terra, o alcatraz é, na realidade, um mergulhador de excelência! Mergulha para capturar as suas presas e pode atingir os 2 metros de profundidade. Alimenta-se principalmente de peixe, sendo as suas presas principais o peixe-voador e o peixe-agulha. É frequente a formação de bandos de alcatrazes quando grandes peixes predadores como, por exemplo, o atum, empurram pequenos peixes para a superfície, ficando assim mais acessíveis para serem capturados pelas aves marinhas.

 

Durante a faina do atum, os pescadores artesanais que frequentam o PNBIMA estão sempre atentos aos bandos de alcatrazes, porque os mesmos podem assinalar a presença de atum. O alcatraz é assim visto como um colaborador crucial para esses homens do mar. 
 
Antigamente existia uma grande colónia de alcatrazes nos ilhéus Rombos (nas proximidades da Brava) que desapareceu por completo, provavelmente em virtude da predação humana e também de gatos, introduzidos nos ilhéus pelo Homem.

 

As falésias extremamente íngremes (até 650 metros de altitude) da Baía do Inferno, que se elevam a partir do mar, são praticamente inacessíveis, o que tem permitido a sobrevivência da maior colónia de alcatraz atualmente existente em Cabo Verde. Mas, no passado, ocorreram capturas com recurso a pequenas embarcações e a colónia de alcatrazes esteve em risco de desaparecer. Hoje, com a maior sensibilização ambiental dos pescadores, a maior vulnerabilidade resulta de ataques de predadores introduzidos, como os gatos e os ratos.